Festival Tudo Sobre Mulheres é confirmado para setembro

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

A produtora cultural e cineasta Danielle Bertolini anuncia a retomada de um dos mais importantes festivais temáticos de Mato Grosso, o Tudo Sobre Mulheres. A Chapada dos Guimarães continua sendo cenário para a mostra que exibe filmes com as mais diversas abordagens sobre o universo feminino.

O cronograma de atividades prevê abertura do edital para inscrição das obras, até o próximo mês – já que o site está sendo finalizado – e encerramento em junho. A divulgação dos selecionados deverá ser feita até julho, já que o festival ocorre entre os dias 5 e 9 de setembro. Da produção até o júri oficial, passando pela curadoria e homenageadas, a presença feminina é marcante.

A última edição do festival foi em 2010. Danielle teve que suspender a produção do evento por conta de uma mudança para outra cidade e a falta de repasses do poder público que já estavam garantidos, mas que não vieram.

Muitos outros festivais no Brasil todo têm sofrido com a falta de incentivo, já que exigem uma logística muito maior que mostras menores. Ou acabam readequando o formato, ou mais certamente, tem que suspender suas atividades, como é o caso de outros festivais mato-grossenses, como o Festival de Cinema e Vídeo de Cuiabá, Cinemato.

“Foi então que aproveitei para incursionar mais pelo universo da produção audiovisual. Em 2011 dirigi um documentário que abordava a violência em relação às questões de gênero na escola e em 2013, fiz De Volta para Casa, que retrata a violência doméstica, só que do ponto de vista do agressor”, conta.

Em 2016 lançou Filhos da Lua na Terra do Sol, documentário que tem circulado por festivais em vários cantos do mundo, como Colômbia, África do Sul, Marrocos, Sri Lanka, China, Brasil e Bélgica.

“A propósito, eu estava em Bruxelas fazendo uma residência quando recebi a notícia da aprovação do projeto do Tudo Sobre Mulheres por edital lançado pelo Ministério da Cultura voltado a festivais e mostras. Fomos os únicos de Mato Grosso”. À ocasião, exibiu Filhos da Lua na embaixada brasileira em uma sessão especial dedicada à cultura lusófona. “O público sempre se surpreende. Muitos dizem que não haviam se atentado para a invisibilidade dos albinos e muito menos, que eles não enxergavam”.

Danielle está entusiasmada com o feedback dos primeiros parceiros do festival. Além do financiamento do Ministério da Cultura via Secretaria do Audiovisual, já sinalizaram apoio a Prefeitura de Chapada, Assembleia Legislativa via Sala da Mulher, Secretaria de Estado de Cultura e outros patrocinadores que vão colaborar na premiação dos vencedores.

Danielle Bertolini cineasta

Danielle Bertolini segue alinhando parcerias para edição que marca retomada do festival

A idealizadora do festival – que conta com produção de Lilian Bazzi -, já adianta o nome das duas homenageadas desta edição. Sara Silveira – pela importante atuação no audiovisual independente no Brasil – e a artista plástica Regina Pena, por ser importante defensora do universo feminino retratadas por suas personagens. A tela de Regina Pena, Voo Solo, é ponto de partida para a identidade visual de todas as artes do evento.

homenageadas tudo sobre mulheres

Regina Pena (autorretrato) e Sara Silveira

 

“Fico feliz que o festival esteja voltando agora, afinal, ele retorna em um momento de maturidade do cinema local e claro, muito mais comprometimento com a questão do feminino, além de ser momento para refletir. Mato Grosso continua tendo um dos mais altos índices de violência feminina”.

 

Fonte: O livre

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.